Centro Experimental de Erosão de Solos de Vale Formoso

 

CENTRO EXPERIMENTAL de EROSÃO de SOLOS

– Herdade de Vale Formoso – Concelho de Mértola

 

O Centro Experimental de Erosão de Solos de Vale Formoso (CEEVF) foi instalado na Herdade de Vale Formoso, pertencente ao Estado, no final da década de 50 do século XX, por iniciativa do Engenheiro Ernesto Baptista d’Araújo e com financiamento do II Plano de Fomento. Iniciou, assim, um programa de conservação de solo, considerado relevante em função do elevado grau de degradação que os solos apresentavam naquela região, devido às campanhas de produção cerealífera, promovidas pelo Estado Novo.

Integram o CEEVF um laboratório, 18 parcelas experimentais, (inicialmente eram 16, mas desde 1988 que estão em funcionamento mais duas), e um conjunto de udómetros. As parcelas experimentais são semelhantes às utilizadas por Wischmeier no desenvolvimento da equação universal de perda de solo. Cada parcela mede 20,0 metros de comprimento e 8,33 de largura, o que corresponde a uma superfície retangular de 166,6 metros quadrados e a aproximadamente 1/60 de um hectare, e tem na sua base um sistema de recolha da escorrência superficial e sedimentos. As parcelas dispõem-se sensivelmente sobre um quarto de círculo, na mesma vertente, mas com exposições distintas e diferentes declives. Na Herdade de Vale Formoso, a superfície dedicada ao CEEVF é de cerca de um hectare.

O facto de o CEEVF não ter interrompido o seu funcionamento até ao momento (2017), apesar de todas as vicissitudes, possui um relevante e um único conjunto de dados, que faz com que este seja um centro de referência a nível europeu e mundial em temáticas como a erosão de solos em áreas agrícolas e sobre desertificação.

Com precisamente 57 anos de existência, as infraestruturas que definem as parcelas de erosão (caleiras e tanques de metal) começaram progressivamente a apresentar sinais de degradação, que se tornaram críticos a partir de 2006.  Esta situação traduziu-se na interrupção da obtenção de dados de forma sistemática. Apesar de todos os esforços empreendidos, só a partir de 2015 e com a integração da investigação sobre a “desertificação” no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais CICS.NOVA da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, NOVA FCSH, começou a ser exequível a recuperação e a modernização instrumental do CEEVF. Desta forma, este local de referência baseado na investigação experimental voltou a estar de novo totalmente operativo, havendo agora a possibilidade de obter uma informação mais fiável e em tempo real.

De notar que a “revitalização” do CEEVF só foi possível pelo apoio financeiro dado pelo CICS.NOVA, que garantiu a compra de dataloggers (HOBO) e de todo o material necessário para refazer o sistema de recolha de dados nas 18 parcelas experimentais. Importa mencionar a valiosa ajuda do Professor Adolfo Calvo-Cases (Universidade de Valência) no desenho e instalação do novo sistema de monitorização. Desta forma e, desde setembro de 2016, o CEEVF ganhou uma nova vitalidade e dimensão. Os estudos sobre as técnicas e práticas de conservação de solos vão continuar, com o objetivo de dar resposta aos novos desafios colocados pelas mudanças climáticas, em relação à gestão de dois recursos vitais como são o solo e a água.

Não será de mais relembrar os objetivos da instalação do CEEVF, bem como a sua relevância na atualidade:

- Estudar o comportamento dos solos em diversas condições de declive e sujeitos a diversos tipos de culturas e rotações;

- Analisar da natureza, intensidade e duração das chuvadas;

- Determinar a ação que as várias culturas têm na conservação do solo que ocupam;

- Avaliação dos efeitos das usuais mobilizações do solo no processo de erosão;

- Deteção dos pontos defeituosos do sistema de exploração;

- Aplicação e observação dos efeitos de práticas conducentes à defesa do solo.

A investigação conduzida no CEEVF integra-se no Grupo 3 – Mudanças Ambientais, Território e Desenvolvimento, constituiu um elemento de referência para a comunidade científica, bem como para a sociedade em geral, devido aos graves e acentuados problemas ambientais, resultantes de uma incorreta gestão de recursos naturais.

Desta forma a análise e o estudo da informação existente, bem como os dados que estão a ser recolhidos, de forma contínua e metódica, são uma base sólida para a realização de diferentes tipos de iniciativas, de que são exemplo;

- Investigação com base experimental de medidas e técnicas de conservação de solo, que visam a sua preservação e melhoramento;

- Utilização da base de dados para a validação de modelos, referentes à dinâmica solo/vegetação/processos de erosão à escala da vertente, entre outros;

- Pesquisa sobre os fatores que conduzem à degradação dos ecossistemas e à desertificação em áreas marginais;

- Realização de cursos para agricultores e técnicos sobre os processos de erosão hídrica de solos;

- Promoção de eventos de educação ambiental, sobre a componente solo e água;

- Divulgação e informação sobre Desertificação.