Menu CICS.NOVA

Membros Integrados

Elisabete Gomes

Grupo de Investigação:

6: Educação, Conhecimento e Cultura


Equipa de Investigação:

Curriculum, tecnologias e formação


Perfil Online:


E-mail:

emxvg@campus.fct.unl.pt; elisabete.gomes@emulrich.org




Elisabete Gomes é Doutora em Ciências da Educação pela Universidade Nova de Lisboa (2011), é Professora de Pedagogia na Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich, onde exerce também funções de Direção. Foi Assistente na Escola Superior de Educação de Beja (1997-2006) e Professora Adjunta convidada na Escola Superior de Educação de Lisboa (2010-2014). Preocupa-se com a burocratização da educação e centra a sua investigação na análise de formas democráticas de vida pedagógica, na formação inicial docente e nas fronteiras entre educação e outros processos humanos complexos (vida nas cidades, política, arte e cultura).


Interesses de Investigação:

Pedagogia. Formação Inicial Docente. Relações Arte-Educação. Infância. Investigação em Educação.


Principais Projectos:

  • 2018-2019: Membro da equipa: Programa Aprendizagens Criativas.Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa (DMC)e a EGEAC;
  • 2013-2015: Membro da equipa: Teorizando Espaços entre Arte e Educação. UIED-FCT/UNL. Financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG);
  • 2007-2010: Membro da equipa: Educação e Desenvolvimento Humano no contexto da União Europeia - Análise comparativa das Políticas Educativas Europeias à luz do paradigma da Aprendizagem ao Longo da Vida. UEID-FCT/UNL. Financiado pela FCT (POCTI/CED/60425/2004);
  • 2006-2010: Projecto de Doutoramento Perspetivar as cidades como espaços públicos de educação de crianças. UEID-FCT/UNL. Financiado pela FCT;
  • 2003-2006: Co-Coordenação Técnica: Cartas Educativas do Distrito de Beja. Escola Superior de Educação de Beja e a Associação de Municípios do Distrito de Beja.

 

Principais Publicações:

  • Gomes, E. X., & Brito, A. T. (2018). A educação de infância como lugar de confluências complexas: diálogos e linhas de análise a partir do caso ESEI Maria Ulrich. Em M. G. Alves, E. X. Gomes, J. Matos, & A. Domingos, Investigação, educação e desenvolvimento: revisitar o pensamento de Teresa Ambrósio (pp. 119-144). Lisboa: Colibri;
  • Gomes, E. X., Pires, A. L., & Gonçalves, T. N. (2017). Interrupções e (re)invenções: Interromper automatismos e (re)inventar (tecnologias de) a educação escolar. In M. de Assis, E. X. Gomes, J. S. Pereira, & A. L. Pires (Eds.), 10x10: Ensaios entre arte e educação (pp. 69-94). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian;
  • Gomes, E. X. (2015). Quem tem medo da pedagogia? Contributos teoria contemporânea da educação para resistir ao regresso ao básico. Revista Brasileira de Educação, 20(63), 949-973. doi: 10.1590/S1413-24782015206308;
  • Gomes, E. X. (2012). The (un)bearable educational lightness of common practices. On the use of urban spaces by schoolchildren. Studies in Philosophy and Education, 31 (3), 289-302;
  • Alves, M. G., Neves, C., & Gomes, E. X. (2010). Lifelong Learning: conceptualizations in European educational policy documents. European Educational Research Journal, 9 (3), 332-344.