Menu CICS.NOVA

Membros Integrados

Maria Maia

Grupo de Investigação:

5: Saúde, População e Bem-estar


Equipa de Investigação:

Políticas públicas, organizações e profissões da saúde


Perfil Online:


E-mail:

mj.maia@campus.fct.unl.pt; maria.maia@kit.edu




Maria Maia é, desde 2016, investigadora no Institute for Technology Assessment and Systems Analysis (ITAS), do Karlsruhe Institute of Technology (KIT), na Alemanha. Com formação em ciências da saúde, possui um doutoramento em Avaliação de Tecnologia (2020) pela Universidade Nova de Lisboa (UNL), com foco no processo de tomada de decisão para a aquisição de dispositivos medicos, um Mestrado em Administração e Gestão de Políticas de Saúde (2005) pela Universidade de Évora (UE) em parceria com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) e uma Licenciatura em Radiologia (2002) pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL).

Os principais interesses de investigação de Maria Maia são os métodos de avaliação de tecnologia em saúde, conceitos e práticas de investigação e inovação responsáveis, e as perspectivas dos cidadãos e outra partes interessadas sobre novas tecnologias na área da saúde.

As suas actividades editoriais incluem a edição convidada de um número especial em "Technology Assessment, Responsible Research and Innovation, Sustainability Research: Conceptual Demands and Methodological Approaches for Societal Transformations" no Journal Sustainability e outra sobre tecnologias assististivas para pessoas com deficiência, no Journal Societies.

A participação de Maria Maia em projectos inclui o projecto PRISMA da UE H2020, no qual teve um papel fundamental na organização das actividades de envolvimento das partes interessadas e na coordenação do trabalho do ITAS-KIT. Além de colaborar em vários projectos, Maria Maia lidera o trabalho do ITAS-KIT (subcontratação) nos projectos KI-SIGS (IA - Space for Intelligent Health Systems) e CoCoAI (Cooperative and communicating AI methods for medical image-guided diagnostics).

Maria Maia é membro eleito da Direcção da International Society for the Studies of New and Emerging Technologies (S.NET) e membro fundador do Observatório de Avaliação Tecnológica e do Grupo de Estudos da Rede de Avaliação Tecnológica. É membro do conselho editorial do Journal of Responsible Technology e membro do Conselho de Tópicos do Journal Societies.


Interesses de Investigação:

Avaliação de Tecnologia, Technologias Assistivas, Technologias Emergentes em Saúde, Innovação Responsável, Processos de Tomadas de Decisão


Principais Projectos:

  • 2020-2023: DaDuHealth - Data Access and Data Use in Medical Institutional and Consumer Health Settings. An Ethical, Legal, and Social Analysis
  • 2016-2021: INOPRO – Intelligent Orthotics and Prosthetics
  • 2016-2019: PRISMA: Piloting RRI in Industry: a roadmap for tranSforMAtive technologies
  • 2016-2017: Assistive technologies for the inclusion of people with disabilities in society, education and jobs

Principais Publicações:

  • Maia, M. Health Technology Assessment and Decision-Making Processes: The Purchase of Magnetic Resonance Imaging Technology. PhD dissertation. 2019. Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade NOVA, Lisboa. http://hdl.handle.net/10362/101778
  • Porcari,A., Pimponi, D., Borsella, E., Klaassen, P., Maia, M., Mantovani, E. (Forthcoming). Conditions for successful RRI uptake by industry. In: Yaghmaei E; van de Poel I (eds.) Responsible research and innovation assessment practices. London: Routledge. ISBN 9780367279752
  • Nierling, L.; Maia, M. Assistive Technologies: Social Barriers and Socio-Technical Pathways.
  • 2020. Societies, 10 (2), Article: 41. doi:10.3390/soc10020041
  • van de Poel, I.; Flipse, S.; Klaassen, P.; Kwee, Z.; Maia, M. J.; Mantovani, E.; Nathan, C.; Porcari, A.; Yaghmaei, E.; Asveld, L. Learning to do responsible innovation in industry: six lessons. 2020. Journal of responsible innovation, 1–11. doi:10.1080/23299460.2020.1791506
  • Maia, M. J. Technology and the creative disruption of health care. 2016. Technikfolgenabschätzung, Theorie und Praxis, 25 (2), 79–84. doi:10.14512/tatup.25.2.79